Assine Gestão Escolar
Revistas do mês
Gestão Escolar
Nova Escola
publicidade

Manutenção do patrimônio escolar

Prevenir o desgaste, planejar a conservação e engajar a comunidade escolar na detecção de problemas é a garantia de uma boa gestão dos recursos físicos e materiais

Daniela Almeida

Será possível uma escola alcançar bons índices de aprendizagem com alunos e professores convivendo num prédio com paredes rachadas, vidros quebrados e privadas entupidas? Para que a aprendizagem aconteça, é necessário que o ambiente seja propício. "O patrimônio compõe a identidade e a imagem da escola e, por isso, ele precisa estar sempre em ordem, sob pena de colocar em risco a segurança das pessoas e o projeto pedagógico", afirma Amaury Meller Filho, do Instituto Paranaense de Ensino, em Maringá, a 420 quilômetros de Curitiba. O patrimônio é formado por instalações físicas, equipamentos, mobiliário e materiais usados na escola. Com a progressiva autonomia financeira (Programa Dinheiro Direto na Escola e outros), o gestor tem agilidade para fazer a manutenção e realizar pequenas obras. O estado ou o município também podem fornecer recursos por meio do adiantamento de verba para despesas de pronto pagamento (artigo 68 da Lei nº 4.320/64). A seguir, cinco pontos importantes que todo bom gestor precisa saber sobre a manutenção do patrimônio escolar.

1. Raio x e diagnóstico

Faça o levantamento do patrimônio, listando o que a escola tem em termos de instalações físicas, mobiliário, materiais de laboratório, equipamentos eletrônicos, livros didáticos, medicamentos e artigos diversos. Para isso, é interessante envolver os representantes da comunidade: com mais gente participando, fica fácil identificar problemas e soluções. Recomenda-se observar a adequação, o conforto, a segurança, a higiene e a salubridade de obras e instalações elétricas, assim como as normas de qualidade e de segurança de equipamentos e materiais. Esses requisitos devem ser cada vez mais rigorosos, de forma que passem a refletir os (altos) padrões de funcionamento da instituição.

2. Aquisição consciente

Como fazer as crianças trabalharem em grupo com carteiras fixadas ao chão? Como colocar em prática um projeto de leitura sem ter um acervo ou mesmo uma biblioteca organizada? Os recursos materiais disponíveis têm de servir ao projeto pedagógico da escola. Muitas vezes, modificações em conteúdos exigem diferentes materiais didáticos, assim como alterações na metodologia pedem outros mobiliários e equipamentos. É importante também estar atento a normas de segurança e higiene: para a creche e a pré-escola, não são adequados brinquedos de jardim feitos de ferro com quinas que possam representar riscos para as crianças. Vale o ditado que diz que o barato sai caro: de nada adianta consertar um equipamento com profissionais não especializados e que não forneçam garantia do serviço ou comprar equipamentos obsoletos que não atendam às necessidades de aprendizagem.

3. Prevenção vale muito

A precaução deve estar na rotina de todo gestor para que sejam evitados problemas emergenciais. Antes da época das chuvas, providencie a checagem do telhado e das calhas e, durante as férias, faça uma revisão de instalações elétricas e hidráulicas, além da substituição de lâmpadas e torneiras danificadas e da dedetização de todos os espaços. Aproveite para realizar pequenas obras. É obrigação do gestor conhecer as medidas preventivas para a manutenção do patrimônio. Para isso, é possível consultar os manuais que costumam ser elaborados e disponibilizados pelos órgãos competentes (distribuidoras de energia para as instalações elétricas, empresa de saneamento para questões de higiene e limpeza etc.) e se aconselhar com especialistas, requisitando laudos técnicos. Para não se esquecer de nada, coloque tudo o que é preciso fazer no papel: esse será seu plano preventivo. Por fim, crie ações para incentivar a preservação, como campanhas educativas. Uma boa ideia é produzir cartilhas para distribuir para toda a comunidade sobre o bom uso do ambiente escolar, mostrando as consequências da má utilização do patrimônio.

4. Vistoria continuada

Regra de ouro: nunca deixe que os problemas se acumulem. Aos primeiros sintomas de desgaste ou deterioração em qualquer item do patrimônio, tome providências imediatamente para que as questões não se agravem. Uma boa estratégia é estabelecer, dentro do plano preventivo, um cronograma de verificações periódicas e cumpri-lo fielmente. Peça ajuda a diferentes membros da equipe gestora e delegue a eles a responsabilidade pela vistoria de cada área, nos intervalos de tempo estipulados. Depois da inspeção, peça que eles reportem os resultados e tome a decisão sobre as medidas cabíveis. Dessa forma, será possível detectar com rapidez os reparos necessários, aumentando a vida útil do patrimônio e evitando gastar mais para substituir equipamentos ou realizar grandes reformas. "O importante é criar a cultura da preservação, do respeito às pessoas e ao meio em que se vive", diz Anaci Bispo Paim, diretora da organização não-governamental Farol do Conhecimento, em Salvador.

5. Comunidade envolvida

Para Hércules Pereira, diretorpresidente do Instituto de Gestão Educacional Signorelli, do Rio de Janeiro, "só com a conscientização e a soma de esforços é possível melhorar os padrões de uso e a qualidade dos prédios escolares". Uma boa oportunidade para realizar essa tarefa são as reuniões com a comunidade. Que tal criar um comitê para promover ações com o objetivo de sensibilizar e capacitar alunos, professores, familiares e moradores da vizinhança para ajudar na manutenção do patrimônio? Vale, por exemplo, convocar os interessados para fazer um mutirão e deixar nova a pintura das paredes ou para organizar um evento com a finalidade de levantar fundos para melhorar as instalações. O importante é que todos se sintam pertencentes e responsáveis pelo espaço. "Ajudar a manter a integralidade física e cultural da escola leva o indivíduo a legitimar seu papel na comunidade, valoriza o sentimento de pertencimento a um grupo capaz de vencer desafi os, reafirma valores e faz com que todos vejam a escola como um patrimônio da comunidade", diz Anaci.

Quer saber mais?

CONTATOS
Amaury Meller Filho
, marketing@institutoparanaense.com.br
Anaci Bispo Paim, fconhecimento@gmail.com
Hércules Pereira, hercules@signorelli.srv.br 

BIBLIOGRAFIA
Gestão Educacional - Uma Abordagem Crítica do Processo Administrativo em Educação, José do Prado Martins, 238 págs.,  Ed. Wak, tel. (21) 3208-6095, 34 reais
Livro do Diretor: Escolas, Espaços & Pessoas - Ideias Práticas para Aprimorar a Escola, Tereza Perez (coord.), 142 págs., Cedac, tel. (11) 3097-0523, 30 reais 

Compartilhe

Gostou desta reportagem? Assine GESTÃO ESCOLAR e receba muito mais conteúdo a cada edição!

 

Publicado em GESTAO ESCOLAR, Edição 002, Junho 2009.
Comentários

 

 Garanta já a sua revista! Assinaturas, edições impressas e digitais

Assine suas revistas impressas ou digitais!

Compre suas revistas impressas!

Compre suas revistas digitais e e-books!

Gestão Escolar
  Patrocínio       Editora ÁticaEditora ScipioneEdições SM

Fundação Victor Civita © 2013 - Todos os direitos reservados.